fbpx

Blog Voltar

Fotoproteção ocular: você sabe como se proteger?

Por Dra. Aline Brasileiro

Fotoproteção Ocular: cuidados com os olhos no verão

Entenda os sintomas e saiba como se proteger

 

A radiação ultravioleta (UV), oriunda do sol, pode causar queimadura de pele, envelhecimento e câncer, além de lesões oculares. A maior fonte de radiação UV é o sol, porém, ela é produzida também por lâmpadas fluorescentes e de descarga de mercúrio, além de lasers.

Nos olhos, os efeitos da exposição excessiva à radiação UV costumam aparecer a longo prazo (anos). São doenças da conjuntiva, como pterígio, alguns tumores, maior incidência de catarata e, possivelmente, degeneração da mácula em idades avançadas, pelo efeito cumulativo das radiações.

Podem acontecer também alterações decorrentes de uma dose única e forte de radiação UV (após um dia de praia por exemplo). Os sintomas e sinais mais comuns, determinados por uma exposição aguda, são vermelhidão, lacrimejamento, coceira, fotofobia, edema (inchaço) conjuntival e palpebral e dificuldade de adaptação ao escuro. Podem se confundir com uma conjuntivite.

Pessoas mais vulneráveis no verão

As crianças e os idosos são mais vulneráveis à radiação UV. Nas primeiras, a pupila está mais dilatada e o olho possui menos pigmento, sendo mais sensível aos raios UV. O cristalino e a córnea, que são as lentes naturais dos olhos, também são menos eficientes na filtração. Nas crianças menores de 1 ano de idade 90% dos raios UV A e 50% dos UV B, que chegam ao olho, atingem a retina. Nas de 12 e 13 anos, 60% de UV A e 25% de UV B.

Nos adultos acima de 25 anos, a quantidade de luz ultravioleta que atinge a retina diminui consideravelmente. Como os efeitos geralmente são sentidos a longo prazo, na maioria das vezes após os 50 anos de idade, a tendência natural é não haver uma maior preocupação com o problema e a exposição pode acelerar a deterioração da visão com a idade.

Acessórios que ajudam na proteção

Por isso é importante que os adultos se lembrem de proteger os olhos das crianças desde cedo, utilizando óculos solares com proteção UV, bonés e chapéus e evitando exposição excessiva ao sol, principalmente nos horários de pico de radiação UV (entre 10h e 17h).

Caso seu filho esteja passando por esse problema o aconselhável é procurar um oftalmologista.

Na Clínica da Criança estamos prontos para te atender. Agende sua consulta pelo telefone (32) 4009-4800.